Chief Strategy Officer

Já ouviu falar de Chief Strategy Officer? Sua organização precisa de um?

Quando pensamos em estratégia corporativa, é normal fazermos uma ligação com o CEO, pois na maioria dos casos é o Chief Executive Officer quem está por trás da criação da estratégia. Acontece que cada vez mais confrontadas com novas tendências tecnológicas e um mercado cada vez mais volátil, organizações precisam responder aos desafios e adaptar-se de forma rápida para avançar.

A pressão de líderes pode ser muito grande nesse sentido, pois a necessidade de implementação da estratégia passou a ser contínua. Em outras palavras: a elaboração e a implementação do planejamento estratégico é hoje um trabalho em tempo integral que requer disciplina. Para executar esse trabalho existe o cargo de Chief Strategy Officer (CSO). Neste artigo esclarecemos o papel de um CSO e respondemos à pergunta central: será que sua empresa realmente precisa de um Chief Strategy Officer?

Qual é o papel de um Chief Strategy Officer?

O Chief Strategy Officer (CSO) é responsável pela criação e execução de iniciativas estratégicas corporativas. Em português, podemos dizer que o cargo é de diretor de estratégia, ou um diretor estrategista. Nas empresas que possuem a função, a visão e missão gerais da organização ficam sob responsabilidade do CSO, já que é ele quem desenvolve e executa estratégias para alcançar o crescimento financeiro em uma companhia.

Um Chief Strategy Officer trabalha de perto com o diretor executivo da empresa (CEO) para concretizar as metas de curto e longo prazo. Além disso, garante que todas as áreas da organização estejam alinhadas com essas metas. Para tal, o CSO é um comunicador capaz de traçar estratégias que sejam compreendidas por todos.

Responsabilidades e habilidades de um CSO

Dentre as funções de um Chief Strategy Officer, destacamos:

  • Articular a missão da empresa de uma maneira clara e concisa de modo que a mesma fale com funcionários em todos os níveis;
  • Colaborar com a alta administração na elaboração de planos de curto e longo prazo;
  • Criar objetivos acionáveis ​​que tornam possível transformar a missão em resultados tangíveis;
  • Avaliar os diversos projetos da empresa para garantir que eles se alinhem com as metas da organização;
  • Analisar o sucesso de produtos, projetos e atividades executadas pela organização;
  • Gerenciar a viabilidade econômica e financeira da empresa utilizando estratégias de gestão;
  • Comunicar também a fontes internas a posição oficial da empresa sobre sua missão;
  • Descobrir maneiras de aumentar a receita, eliminando práticas de desperdício e agilizando a entrega do produto;
  • Liderar e apoiar a gestão na aplicação e implementação de novas políticas e procedimentos;
  • Representar a empresa em funções oficiais;
  • Desenvolver novas oportunidades de negócios, alavancando contatos, buscando o desenvolvimento de novos produtos e melhorando a eficiência de projetos;
  • Garantir o cumprimento de todas as leis, políticas e regulamentações relevantes.

Para isso, o CSO deve:

  • Possuir habilidades de resolução de problemas e tomadas de decisão;
  • Ter pensamento estratégico;
  • Ter um forte conhecimento prático de estratégias de gestão, relações com clientes e implementação de novas tecnologias;
  • Estar confortável em falar em público e se comunicar verbalmente e por escrito;
  • Ser capaz de realizar multitarefas com projetos de pesquisa, análise de dados, coordenação com a equipe executiva e – na ausência do CEO – atuar como a face pública da empresa;
  • Estar disposto a desafiar o pensamento padrão com novas ideias, novas abordagens e novas soluções;
  • Possuir habilidades comprovadas em liderança, gerenciamento e colaboração.

Uma empresa precisa de um CSO?

As empresas que incluem o cargo na sua estrutura organizacional entendem que o Chief Strategy Officer é alguém cada vez mais responsável por garantir um futuro saudável. O principal argumento, no entanto, é o fato de que o cargo libera o CEO para se concentrar em aspectos organizacionais mais amplos.

Para essas empresas, a estratégia criada pelo CEO e outros líderes, quando transmitida para os gerentes e funcionários da linha de frente, perdia o sentido, muitas vezes pela falta de habilidade em transmiti-la e fazê-la realmente sair do papel. Por isso, elas entendem que deve existir uma pessoa responsável por trabalhar integralmente focado na estratégia, isto é, papel a ser exercido pelo CFO.

No outro lado da discussão há quem não veja a necessidade de um Chief Strategy Officer, especialmente em empresas de menor porte. Todavia, se este C-level não se faz necessário em uma organização, é importante que suas atribuições estejam presentes em diferentes pessoas e papéis.

Por função, um CSO, ao ser confrontado com desafios, é um indivíduo que imediatamente faz perguntas e reavalia as decisões com rapidez e discernimento. Quando necessário, repensa a implementação das estratégias que executarão o planejamento estratégico. Se pararmos para pensar, esse não é um papel de outros executivos C-Level? A estratégia não é também uma responsabilidade de outros líderes, e não apenas do CEO?

Aqueles que respondem sim às perguntas acreditam que uma companhia não precisa ter mais um nível-C em sua estrutura, mas sim pulverizar as atribuições de um CSO em cargos diferentes ou até tendo algumas atribuições iguais para vários cargos.

A questão aqui é entender que quando uma organização não possui uma pessoa no cargo de Chief Strategy Officer não significa que ela terá problemas em responder estrategicamente às volatilidades de mercado de forma eficaz. Isso porque não é um cargo que faz as coisas acontecerem e uma companhia evoluir. Para isso é necessário todo um conjunto de pessoas que consigam analisar os ambientes interno e externo e tomar decisões acertadas.

Concluindo

Um Chief Strategy Officer é quem cria e executa as iniciativas estratégicas corporativas para que uma empresa alcance o crescimento financeiro. Por lidarem com a estratégia, trabalha de perto com o CEO a fim de concretizar as metas de curto e longo prazo. Além disso, busca garantir que todas as áreas da organização estejam alinhadas com essas metas.

Muitas empresas veem no cargo uma necessidade para que consigam adaptar-se rapidamente às mudanças de mercado. Já outras acreditam que não é necessário ter um profissional exclusivamente responsável pela estratégia, pois a mesma é de responsabilidade de outros C-levels. E você, o que pensa sobre o assunto?

Esperamos que este artigo tenha sido útil a você. Fique à vontade para compartilhá-lo com seus colegas. Aproveite que está aqui e acesse o Glicando, o blog da Glic Fàs.

Créditos imagem: Pixabay por rawpixel

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *