Por que a análise de riscos não basta?

O dia a dia das organizações é feito por tomadas de decisão. Para que elas possam ser realmente benéficas – ou pelo menos não trazer prejuízos – é preciso ter conhecimento da situação sendo analisada e, também, possuir acesso aos dados e informações corretos.

Tomar decisões sobre um evento desconhecido ou uma situação incerta pode ou não ser algo bem-sucedido, e é exatamente a isso que o “risco” diz respeito. Se pararmos para pensar, com processos organizacionais continuamente em transformação e evoluindo em termos de recursos disponíveis, gerenciar riscos passa a ser desafiador porque lidamos constantemente com imprevisibilidades.

Por isso, para abordar adequadamente um risco iminente, é essencial coletar o máximo de informações possíveis a fim de gerenciar o risco e, então, minimizar seu impacto. Mas, antes, é fundamental entender quais riscos podem impactar negativamente as principais iniciativas de negócios ou projetos. É assim que entramos no terreno da Análise de Riscos.

O que é Análise de Riscos?

Explicando de maneira simples, a Análise de Riscos é o processo de avaliar a probabilidade de um evento adverso, de modo a ajudar a organização a evitá-lo ou mitigá-lo. Alguns dos exemplos de aplicabilidade da análise é em casos como:

  • Antecipar e reduzir o efeito de resultados prejudiciais de eventos adversos;
  • Avaliar se deve ou não avançar com um projeto;
  • Planejar respostas para falha de tecnologia ou equipamento, ou perdas provenientes de eventos adversos, tanto naturais quanto causados ​​pelo homem;
  • Gerenciar riscos potenciais no ambiente de trabalho;
  • Preparar para mudanças no ambiente corporativo com base na probabilidade de novos concorrentes entrarem no mercado ou em mudanças na política regulatória do governo.

Por que a Análise de Riscos é importante?

A Análise de Riscos ajuda a identificar e avaliar o impacto dos riscos para a organização. Então, podemos também dizer que é uma grande aliada para evitar impactos financeiros e organizacionais negativos. Pense o seguinte: se você não conseguir identificar todos os riscos que seu negócio pode enfrentar no dia a dia, não haverá maneira de evitar potenciais armadilhas, certo?

Portanto, tenha em mente que antes de implementar um novo plano ou estratégia de negócios, é crucial identificar todos os riscos que a sua empresa pode enfrentar. Somente assim você conseguirá planejar o gerenciamento de possíveis riscos antes que eles se tornem um problema.

Entendemos que, quando bem conduzida, a Análise de Riscos é uma ferramenta importante para auxiliar no processo de tomada de decisões de uma organização. A conta é simples: decisões inteligentes tendem a ser também as mais lucrativas, o que significa que o processo de análise pode economizar tempo e dinheiro, além de salvar a reputação de uma empresa.

E como realizar a Análise de Riscos?

Para colocar a Análise de Riscos em prática, você deve primeiro identificar as possíveis ameaças que o projeto, a área ou a empresa enfrenta. Elas podem ser, por exemplo:

  • Ameaças humanas, como doença ou ferimento de alguém na equipe;
  • Ameaças operacionais, como falhas ou interrupção de operações;
  • Ameaças financeiras, como mudanças na taxa de jutos, flutuações no mercado de ações etc.;
  • Ameaças políticas, como mudanças em impostos, política governamental ou influência estrangeira;
  • Ameaças de projetos, como no caso em que o orçamento é ultrapassado ou há atrasos nas entregas.

A lista vai além e pode envolver falhas de controles internos, ameaças climáticas, de reputação, técnicas, entre outros exemplos. O indicado aqui é que nessa fase sejam elencadas todas as situações que podem impactar negativamente em cada atividade da empresa.

Em seguida, deve-se estimar a probabilidade das ameaças se concretizarem. Uma maneira de fazer isso é realizar uma estimativa da probabilidade de o evento ocorrer e multiplicar pela quantia que custará para resolver o problema. Veja a seguir:

Valor do Risco = Probabilidade do Evento x Custo do Evento

Imagine que haja o risco de que o aluguel do prédio da empresa aumente. Existe uma chance de 80% de isso acontecer na renovação do contrato. Se isso realmente se concretizar, o custo do seu negócio com aluguel será de R$ 500 mil ao longo do próximo ano. Então, o valor de risco do aumento do aluguel é:

0.80 (Probabilidade de Evento) x R$ 500.000 (Custo do Evento) = R$ 400.000 (Valor de Risco)

Outra maneira para realizar essa avaliação é com a matriz de impacto x probabilidade e falamos sobre ela no artigo Aplique o plano de gerenciamento de riscos no seu negócio. A Análise de Monte Carlo também pode ajudar. Saiba mais neste artigo.

Bom, mas se você identificou as ameaças, calculou a probabilidade e o impacto, então significa que a análise de riscos está finalizada? Não exatamente, afinal é preciso agora agir com relação aos resultados dessa análise.

Resposta para a Análise de Riscos

Para cada risco identificado deve-se definir uma ação. Conforme comentamos no artigo Entenda os riscos corporativos do seu negócio, elas incluem:

  1. Evitar o risco: você pode optar por não assumir o risco, evitando as ações que o causam. Essa é uma boa estratégia para quando um risco tem um impacto potencialmente grande.
  2. Reter o risco: nesse caso, escolhe-se por enfrentar um risco. Essa é uma boa estratégia para riscos que não terão muito impacto caso ocorram e que podem ser facilmente resolvidos quando surgirem.
  3. Reduzir o risco: você pode executar ações de mitigação que reduzam o risco. Por exemplo, sua empresa lançou um novo produto e a equipe de vendas terá que demonstrá-lo. Existe um risco de que alguns profissionais não entendam o produto por completo e não consigam demonstrá-lo corretamente. Para isso, você decide investir em treinamento para 80% da sua equipe.
  4. Transferência do risco: um risco pode ser transferido para um terceiro. Por exemplo, uma empresa pode optar por transferir riscos de transporte de mercadoria contratando uma terceirizada para fazer o serviço.
  5. Explorar o Risco: quando há uma oportunidade para ser explorada com a ocorrência. Por exemplo, existe a possibilidade de que o novo produto seja tão bem aceito no mercado que faltarão vendedores para demonstrá-lo. Isso é um risco positivo e em casos assim queremos maximizar a chance de ele ocorrer.

Após definido o tratamento que será dado a cada risco identificado, não esqueça de que é necessário monitorá-lo e controlá-lo constantemente.

Para entender melhor a Análise de Riscos

A análise de riscos faz parte do gerenciamento de riscos, o qual possui as seguintes etapas:

  1. Planejamento da Gestão de Riscos
  2. Identificação do risco
  3. Análise qualitativa de riscos
  4. Análise quantitativa de riscos
  5. Planejamento de respostas aos riscos
  6. Implementação dos planos de respostas aos riscos
  7. Monitoramento do risco

Neste post não iremos nos ater a cada passo. Caso você queira mais detalhes sobre eles, indicamos o artigo Como a gestão de riscos pode salvar seu negócio?

Como procuramos mostrar, a Análise de Riscos, quando efetuada antes da implementação de um novo plano ou estratégia de negócios, pode impedir que sua empresa tome uma decisão que tenha chances de resultar em uma perda significativa. No entanto, não faz sentido conduzir uma análise e ignorar os planos elaborados, ou deixar de fazer o devido monitoramento e controle dessa análise conforme o andamento dos trabalhos, pois desse modo a análise será apenas uma perda de tempo. Por isso, é fundamental que a gestão de riscos seja levada a sério em todas as suas sete etapas.

Concluindo

Identificar os riscos e as probabilidades de ocorrência, e elaborar um plano de respostas fazem parte da Análise de Riscos. Não esqueça que após isso deve-se seguir os planos elaborados, implementando-os e monitorando-os constantemente.

Para dar continuidade ao tema deste artigo, sugerimos a leitura do post Como desenvolver o mapeamento de riscos do seu negócio?. No Glicando, o blog da Glic Fàs, temos também outros materiais que podem interessar. E se este artigo foi útil para você, compartilhe-o com seus colegas. Fique à vontade também pra deixar seu comentário.

Créditos imagem: Pixabay por skeeze

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *