O que são empresas ESG (Meio ambiente, Social e Governança)?

Em um primeiro momento, quando avaliamos decisões de investimentos em empresas, pensar em levar em consideração critérios além dos financeiros pode parecer não fazer sentido. No entanto, um dos fatores que vem recebendo mais atenção nas decisões de investidores institucionais é a maneira pela qual uma empresa gerencia não apenas os riscos financeiros, mas também os não-financeiros.

Por sua vez, as práticas ambientais, sociais e de governança (conhecidas internacionalmente pela sigla ESG) de uma organização fornecem uma métrica fundamental. Vamos saber mais sobre ESG?

Entenda melhor: o que é ESG?

A sigla ESG vem de Environmental, Social and Governance, ou Meio ambiente, Social e Governança em português. Explicando melhor, significa avaliar empresas e até países sobre critérios ambientais, sociais e de governança a fim de avaliar como estão nesses três quesitos.

Dessa maneira, ao contrário do que muitos podem pensar, ESG não lida apenas com questões como mudanças climáticas, por exemplo. Apesar de formarem uma parte do termo, para fins de ilustração a sigla abrange também as práticas de trabalho de uma organização e questões como remuneração de executivos. A seguir detalhamos:

ESG – Fatores ambientais

Os critérios ambientais consideram como uma empresa atua com relação ao meio ambiente. Entre outras coisas, consideram a forma como os resíduos são tratados, o consumo de energia, quais são as iniciativas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, a prevenção de riscos ambientais – tais como derramamentos de óleo -, iniciativas de descarbonização, esforços para combater o aquecimento global, utilização da água, biodiversidade etc.

ESG – Fatores sociais

Os critérios sociais examinam como uma empresa lida com questões como direitos humanos, treinamento de pessoal, respeito com os empregados, relacionamento com funcionários, fornecedores, clientes e com comunidades onde atua. Avaliam também a proporção de funcionários pertencentes às minorias e a taxa de representação masculina/feminina.

Exposição a trabalho infantil ilegal e questões como adesão à saúde e segurança no local de trabalho e satisfação dos clientes são igualmente critérios sociais. Para empresas, quanto mais estiverem integradas à comunidade local, mais pontos ganham nesse quesito.

ESG – Fatores de governança

A Governança Corporativa (GC) é uma das principais ferramentas para identificar e gerenciar os riscos de uma empresa, proteger os investimentos feitos pelos acionistas e proteger os ativos organizacionais. Ela exerce um papel importantíssimo para nós – não apenas como empresas, mas também como cidadãos brasileiros – especialmente face aos escândalos de corrupção.

Dizemos ainda que a Governança Corporativa refere-se a um conjunto de regras ou princípios que definem direitos, responsabilidades e expectativas entre as diferentes partes interessadas na governança de empresas. Quando bem definido, o sistema de GC alinha interesses entre as partes interessadas.

Nesse contexto, os critérios de governança lidam com a liderança da empresa, garantem a independência do conselho de administração e a presença de um conselho fiscal, focam na transparência na remuneração dos executivos e nas ações anticorrupção, direitos dos acionistas, conduta corporativa etc.

Para saber mais sobre Governança Corporativa, recomendamos as leituras:

Desse modo, empresas que adotam os padrões ambientais, sociais e de governança podem estar engajadas em ações como:

  • Transparência na divulgação das informações;
  • Desenvolvimento de ações de responsabilidade socioambiental;
  • Investimento em pesquisa e tecnologia;
  • Gestão de resíduos;
  • Diversidade nas equipes;
  • Adoção de canal de denúncias;
  • Diversidade no conselho de administração;
  • Etc.

Por que ESG é importante?

importância ESG

Ao avaliar o grau de comprometimento com os critérios de ESG é possível ver o nível de responsabilidade de uma empresa ou governo para com a sociedade, meio ambiente e partes interessadas. Segundo a KPMG, empresas que aderem às práticas de meio ambiente, saúde e governança conquistam diversos benefícios a longo prazo.

Como exemplo, eles citam que organizações com alta adoção de valores ESG têm uma taxa maior de retenção de talentos e um reconhecimento de marca positivo entre colaboradores, clientes e comunidade em geral. São também empresas mais adaptáveis, pois evoluem de acordo com as novas normas, tecnologias e demandas da sociedade.

Outro benefício nas práticas de ESG é que elas buscam criar um negócio sustentável e resiliente ao longo do tempo, levando em consideração riscos que não são facilmente identificados. Quando a empresa realmente se engaja e leva à sério os três critérios, traz benefícios para todas as partes interessadas de uma empresa, pois seu desempenho também melhora.

Há ainda o fato de que cada vez mais as pessoas prestam atenção em como as organizações gerenciam o capital humano e como é a relação com o meio ambiente, e como é sua relação com a ética e transparência. Essa preocupação é também a de investidores. A Anbima, em seu Relatório de Sustentabilidade, destaca o fato de que a maioria dos gestores de investimento do país entrevistados para a publicação utiliza os padrões ESG para tomadas de decisão.

Importante mencionar também que a adoção dos critérios ambientais, sociais e de governança deixa a empresa mais eficiente e produtiva, minimiza problemas legais, reduz custos e aumenta a receita. Tudo isso resulta na otimização de investimentos.

Por fim, em todas as estratégias de ESG o envolvimento dos stakeholders é um componente-chave. Os três fatores promovem a transparência e a confiança, além de ajudarem a compreender as inquietudes e prioridades das partes interessadas.

Concluindo

Os critérios ESG são como uma lista de compras utilizada por empresas ou pessoas que querem fazer investimentos responsáveis e éticos. Isso inclui desde a preocupação de investidores na hora de comprar ações até na escolha de um cliente pelo produto/serviço de uma empresa em detrimento de outra.

Ao adotarem os padrões de meio ambiente, sociais e de governança, a organização afirma seu compromisso com seus valores e seus relacionamentos, independentemente de estar ou não passando por uma crise. Do mesmo modo, uma empresa que se preocupa com seu pessoal, clientes e meio ambiente – e que é bem administrada – tem mais probabilidade de superar seus pares do que outra que não está em conformidade com os fatores ESG.

Gostou deste artigo? Foi útil para você? Fique a vontade para compartilhar o material com seus colegas. Para mais conteúdo como este, e para ficar por dentro de boas práticas da gestão de negócios, visite o Glicando, o blog da Glic Fàs.

Créditos imagem principal: Unsplash por Fateme Alaie.

Créditos imagem texto: Pixabay por 政徳 吉田.

Contate-nos

Patricia C. Cucchiarato Sibinelli
  • Diretora Executiva
  • Mentoria em gestão de negócios.
  • Tel: (11) 9 9911 0274
Silvio Luiz Zen
  • Diretor Executivo
  • Mentoria em Gestão de Negócios.
  • Tel: (11) 9 9999 6564