tipos de orçamento

Você é expert em orçamento? Conheça alguns tipos!

Dizer que uma empresa está em uma situação econômica boa não significa dizer que sua situação financeira também vai bem. Embora muitas pessoas achem que visão econômica e visão financeira sejam a mesma coisa, o fato é que os termos não são sinônimos.

Resumidamente, quando falamos de situação econômica nos referimos aos lucros ou prejuízos dentro de um regime contábil. O regime utilizado é o de competência, o que quer dizer que, para a contabilidade, os lançamentos são feitos em valor integral, independentemente de a compra ou venda ter sido parcelada.

A situação financeira por sua vez é vista pelo caixa da empresa, pois está relacionada às despesas e aos rendimentos ao longo de um período. Diz respeito ao dinheiro que entra e sai do caixa.

É importante saber fazer a diferenciação, pois:

  • A visão financeira mostra se a organização tem capital de giro suficiente para pagar suas operações.
  • A visão econômica mostra se o modelo de negócio da empresa é ideal, já que apresenta a estrutura financeira da organização.

Mas a confusão não se encerra aí. Se resultado econômico e financeiro causam dúvidas, as diferentes visões do orçamento são ainda mais confusas para muitas pessoas. Orçamento original? O que é orçamento projetado? E orçamento baseline?

Para entender um pouco mais sobre os diferentes tipos de orçamento, acompanhe as próximas linhas.

O que é orçamento original?

O orçamento original é o mais conhecido no meio empresarial. Como o nome sugere, trata-se do orçamento elaborado inicialmente. Também é chamado de orçamento estático, o que explica outra característica: uma vez definido, a ideia é que a empresa deve segui-lo à risca até o próximo ano.

Isso não significa que o orçamento original não possa mudar. Se algo ocorrer – como uma crise mundial – e acabar comprometendo o processo decisório, uma reorçamentação pode ser aprovada pela alçada competente (caso essa revisão orçamentária seja bem feita). No entanto, o objetivo é que esse tipo de orçamento seja seguido sem alterações.

Apesar de parecer um orçamento inflexível e engessado, grandes corporações tendem a utilizá-lo. Isso porque elas possuem uma maior necessidade de consolidar todos os orçamentos em um orçamento único. Justamente por serem grandes, na maioria das vezes alterações de volume que venham a ocorrer em alguma filial não impactarão de modo significativo a orçamentação geral.

Pequenas empresas, com gestão mais centralizada, costumam também adotar o orçamento original.

O que é orçamento flexível?

O orçamento flexível é o oposto do original. Refere-se a um modelo no qual a organização admite que orçamentos de custos, investimentos e despesas variem conforme a produção ou as vendas.

Apesar de não ser engessado como no primeiro caso, o orçamento flexível exige um acompanhamento constante e uma rápida adaptação dos envolvidos, que poderão ter que fazer diversos ajustes no budget e, muitas vezes, no próprio planejamento da empresa.

Este modelo de orçamento pode ser aplicado em qualquer área, mas é mais utilizado para controlar despesas de fabricação ou operacionais.

O que é orçamento projetado?

orçamento projetado

O orçamento projetado trabalha com a projeção orçamentária, utilizada para saber a quantidade de recursos que a empresa precisará em um determinado período, e o que se espera que ela receba. Fatores como sazonalidade e estabilidade influenciam na projeção, uma vez que influenciam na demanda.

Para realizar a projeção orçamentária deve-se olhar não apenas para o mercado externo, mas também para a situação corporativa interna. Ao fazer toda a análise para constituir o orçamento projetado é possível realizar um planejamento de vendas e de investimentos, por exemplo, e projetar o fluxo de caixa.

A projeção de cenários é outra ferramenta muito utilizada para a elaboração deste tipo de orçamento. Dessa maneira, a organização pode criar diferentes modelos para diferentes possíveis realidades.

O que é orçamento base zero?

O orçamento base zero, ou orçamento OBZ, é elaborado a partir de uma base zerada. Isso significa que para sua criação, ao invés de analisar a base histórica (custos, despesas, receitas e investimentos de exercícios anteriores) parte-se de uma “página em branco”.

Uma vantagem do orçamento OBZ é que para estabelecer as bases orçamentárias ele considera as necessidades atuais da empresa, sem utilizar índices de reajustes ou as citadas bases históricas, como é o caso do modelo tradicional. A fim de elaborá-lo, os gestores precisam compreender o plano macro da organização para que estejam aptos a criar o planejamento departamental e identificar o que será necessário, em termos de recursos, para colocar o plano em prática.

Por esse motivo, o orçamento base zero aumenta a visão estratégica da gerência. Como parte de um “ponto zero”, sua elaboração leva mais tempo e exige mais envolvimento dos executivos.

O que é orçamento baseline?

A estimativa de custos de um projeto é o que chamamos de orçamento baseline. Por isso, sempre que se fala em “estar abaixo do orçamento”, significa que a comparação é entre os custos atuais e o que foi projetado. Assim como o que acontece no orçamento estático, a ideia é que o orçamento baseline não sofra alterações.

Todavia, caso haja mudança de escopo será necessário adicionar uma nova “linha de base” para servir como referência de medição de desempenho do projeto. Outra situação em que isso pode ocorrer é quando, para fins de orçamento organizacional, a empresa solicita estimativas mais atualizadas sobre o projeto.

Existem ainda outras possibilidades de alteração do orçamento baseline:

  • Uma diferença significativa entre os números planejados e reais pode ter sido identificada;
  • Uma ou mais tarefas podem ter sido subestimadas.

Nesses casos, a equipe de gerenciamento de projetos precisará de uma nova baseline.

Importante destacar que sempre que houver mudanças, as mesmas devem ser aprovadas pela alçada competente (assim como o que acontece com a elaboração do orçamento estático). Adicionalmente, elas devem ser analisadas e documentadas.

Concluindo: tipos de orçamento

Além dos modelos que mencionamos neste artigo, existem outros tipos de orçamento que podem ser adotados por uma empresa. Cada um tem seus pontos positivos e negativos, e alguns são mais indicados em situações específicas.

O importante aqui é entender que uma gestão orçamentária bem elaborada e conduzida é decisiva para a longevidade de qualquer negócio. Então, para não ter erro, a dica que damos é que você se aprofunde um pouco mais no tema e escolha a metodologia ideal.

Falando em longevidade organizacional, você sabe onde sua empresa está no ciclo de vida? Descubra, neste e-book, em que fase seu negócio se encontra e aprenda como agir para mantê-lo vivo, saudável e em crescimento. Baixe-o aqui.

E se este artigo foi útil, compartilhe-o com seus colegas. Para mais conteúdo como este, e para ficar por dentro de boas práticas da gestão de negócios, visite o Glicando, o blog da Glic Fàs.

Créditos imagem principal: Unsplash por Campaign Creators.

Créditos imagem texto: Unplash por Markus Winkler.

Contate-nos

Patricia C. Cucchiarato Sibinelli
  • Diretora Executiva
  • Mentoria em gestão de negócios.
  • Tel: (11) 9 9911 0274
Silvio Luiz Zen
  • Diretor Executivo
  • Mentoria em Gestão de Negócios.
  • Tel: (11) 9 9999 6564