folga

Melhorar a produtividade: por que é importante incentivar folgas?

“Gestores, encorajam seus times a tirarem folgas”. Esta é a tradução literal do título de uma matéria publicada no site Harvard Business Review que nos mostra muito sobre como melhorar a produtividade. A autora, Sabina Nawaz, começa contando que uma das principais preocupações de seus clientes é estarem rápidos demais e indo a lugar nenhum. Em outras palavras: um ritmo frenético, mas uma produtividade estática – como Nawaz escreve.

Ela comenta ainda que após passar a adrenalina inicial da crise, diversos clientes relataram sentirem-se esgotados e exaustos. A situação chegou a tal ponto que eles passaram a sentirem-se inúteis.

“O tempo gasto no deslocamento foi convertido em reuniões que começam mais cedo durante o dia e preenchem o espaço entre o jantar e a hora de dormir (muito tarde)”, observa. A autora aborda a questão das férias, pois sem ter para onde ir, muitas pessoas resolveram cancelá-las e… continuar trabalhando.

O fato é que, com ou sem pandemia, o nosso cérebro precisa de uma folga. Ela pode vir em forma de férias, de alguns dias off na semana ou de algumas horas por dia dedicadas ao fazer nada (os italianos têm uma expressão para isso: “dolce far niente”, que diz respeito à “agradável ociosidade”).

A pausa, aliás, é a chave para quem busca como melhorar a produtividade. Na gestão de negócios muitos líderes ainda não se deram conta disso e, por isso, nos parágrafos a seguir queremos trazer a discussão para perto de nós. Boa leitura!

Por que incentivar a folga?

O mesmo texto da HBR traz um dado interessante: as férias não utilizadas custaram às empresas americanas US $ 224 bilhões por ano tanto em termos de produtividade dos funcionários quanto para a economia. Já uma análise realizada pela Oxford Economics descobriu que as empresas americanas pesquisadas acumularam US $ 224 bilhões em passivos por folgas não utilizadas.

Sobre a importância de líderes incentivarem as folgas, alguns pontos importantes a considerar:

  • É fundamental que funcionários deem uma pausa no cérebro. Ao fazerem isso, evitam o esgotamento e podem ser mais produtivos e criativos, melhorando o desempenho.

  • Funcionários que são incentivados a tirarem folga e/ou a “desligarem-se” por algumas horas do trabalho são mais felizes. Como consequência, a tendência é que tenham sentimentos mais felizes com relação ao empregador, o que para a empresa resulta em maior retenção de talentos.

  • O estresse é uma grande porta de entrada para doenças. Quando um funcionário não descansa, fica muito mais suscetível a condições de saúde variadas. O resultado para o empregador traduz-se em funcionários ausentes.

  • A folga também incentiva a independência entre colegas, porque de alguma maneira todos precisam entender um pouco do que o outro faz. Colocando em outros termos, promove o compartilhamento de conhecimento entre as pessoas da equipe.

Em suma, quando funcionários não tiram folga não adianta procurar por maneiras de melhorar a produtividade. Sem folga, a saúde, o desempenho e a felicidade são impactados.

Folga e mais produtividade

Sobre o tema, o designer Stefan Sagmeister, em um TED, conta que a cada sete anos fecha seu estúdio em Nova York para viver um “ano sabático para rejuvenescer e refrescar suas perspectivas criativas”. A inspiração veio do tempo em que passou em Bali.

Em sua palestra, ele conta que desde 1930 a 3M dá aos seus engenheiros 15 por cento para que possam se dedicar ao que quiserem. Foi assim que surgiu a conhecida fita adesiva, de acordo com ele. A Google é famosa por dar 20 por cento para os engenheiros de software se dedicarem a seus projetos pessoais.

Stefan Sagmeister fala de um ano sabático, mas sabemos que isso não é algo que todos podem e querem fazer. Como líder, é importante incentivar os liderados a praticarem pequenas ações, mas que podem trazer grandes resultados para a saúde e produtividade das equipes.

Muitas vezes, o próprio pensamento de tirar um dia de folga assusta os funcionários porque eles temem perder o lugar para outro ou ter uma pilha de coisas a fazer quando retornarem. Você não precisa necessariamente incentivar um dia inteiro de folga, mas um ótimo jeito para quem procura ações de como melhorar a produtividade é fornecer oportunidades de aliviar o estresse. Incentive as pausas para o café, desafie os funcionários a caminharem pelo escritório algumas vezes ao dia, a almoçar fora de suas mesas de trabalho ou até mesmo a saírem mais cedo em algumas sextas-feiras, por exemplo.

Importante também é respeitar as horas de trabalho. Com o home office muitos empregadores esquecem-se de que existe um limite de horário que seus empregados estão disponíveis para a empresa. Reuniões antes ou depois do expediente, ligações aos finais de semana e mensagens sem parar mantêm o funcionário conectado todo o tempo com seu trabalho. Não é à toa que muitos chegam à exaustão e, mesmo sem o estresse do deslocamento diário, já começam o dia estressados.

Como melhorar a produtividade?

Neste artigo estamos falando das folgas. Como comentamos, a ação não precisa ser nada muito grandiosa (como tirar um sabático). Tenha em mente que curtos intervalos programados já permitem que os funcionários respirem (e se você quer melhorar a produtividade, a dica é deixar seus colaboradores respirarem).

O texto da HBR traz alguns outros insights. A autora propõe que mesmo com os funcionários trabalhando remoto, eles devem ser incentivados a considerar as férias (ou as folgas) como ferramentas para o tempo da família, o cuidado e o autocuidado. “Em seu meio dia de folga, um de meus clientes criou um buquê para sua esposa em seu jardim, consertou uma bicicleta e leu um livro que estava em sua prateleira há uma década”, conta Sabina Nawaz.

A autora faz também um alerta. Especialmente em meio à incerteza, é natural que muitas pessoas não se sintam seguras em relação aos seus empregos. Em situações assim, a tendência é que trabalhem mais e não se permitam desligar.

Para mudar esse pensamento, a cultura da empresa precisa reforçar que as pessoas são seus ativos mais fortes e que a organização está lá para elas. Dessa maneira, os colaboradores realmente entenderão que as folgas são incentivadas porque a empresa busca pelo bem-estar de seus funcionários.

Como a liderança deve dar o exemplo, uma máxima deve ser adotada: “o que você diz é menos importante do que o que você faz”. Ou seja, quando as políticas da empresa expressam – e os comportamentos dos líderes demonstram – o que a organização mais valoriza, os demais funcionários tendem a seguir o comportamento.

Portanto, não basta procurar por meios de melhorar a produtividade da sua equipe. Comece pensando na sua produtividade propriamente dita e mostre que você também se dá folgas.

Mais dicas…

O artigo da HBR conta uma ação dos consultores do Boston Consulting Group que, de acordo com a autora, fizeram um progresso significativo em satisfação no trabalho, equilíbrio entre vida profissional e colaboração e eficácia. Segundo Nawaz, eles tiraram “folgas previsíveis” de seus telefones celulares, garantindo que seus trabalhos fossem cobertos por um membro da equipe durante aquele tempo. “Ao envolver toda a equipe, você faz das pausas parte da cultura”, reforça Nawaz.

E você, o que acha sobre a importância de incentivar a folga em seu time? Acredita que seja mesmo uma maneira de melhorar a produtividade? Deixe um comentário e compartilhe conosco sua opinião.

Agora que chegou ao final deste artigo, que tal uma pausa? Assista ao TED de Stefan Sagmeister sobre “O poder do tempo de folga”:

Conheça também nosso blog e leia mais artigos que podem ajudá-lo na gestão da sua empresa.

 

Créditos imagem: Unsplash por Cynthia Magana