pessoa estressada

Por que o tempo acabou para um ambiente de trabalho tóxico?

Normalmente, a parte mais difícil de um trabalho é conseguir entregar os resultados que a empresa espera. Se levarmos em consideração a alta concorrência no mercado, com vários profissionais gabaritados procurando por uma oportunidade muitas pessoas até diriam que a parte difícil seja conseguir manter o emprego.

Isso, pelo menos até perceber que o ambiente de trabalho está fazendo mal: algo que deveria ser saudável torna-se um pesadelo e, assim, manter o emprego ou entregar resultados não representam mais grandes problemas. A verdadeira questão é ter vontade de trabalhar e ter que suportar determinadas situações pelo simples fato de que você precisa do emprego. Então, de repente, você se dá conta de que está em um ambiente de trabalho tóxico.

O que caracteriza um ambiente de trabalho tóxico?

Um ambiente de trabalho tóxico é um local que afeta negativamente o bem-estar de colaboradores, resultando em aumento de estresse, ansiedade e preocupação. É aquele em que fofocas, abusos, brigas, coerção, abuso verbal, “puxadas de tapete”, manipulação e chantagem ocorrem regularmente.

A lista ainda segue, mas o fato é que é difícil identificar todos os elementos que constituem um ambiente de trabalho tóxico, pois muitas vezes as causas não são visíveis em um primeiro momento. No entanto, assim como ocorre com várias doenças os sintomas são, sim, facilmente detectados.

O risco, para quem se depara com um ambiente de trabalho tóxico, é de ficar doente. Em um outro extremo a pessoa pode começar a questionar as próprias habilidades, sentir-se um profissional desqualificado e duvidar de sua capacidade. No ambiente social as consequências do convívio com colegas ou ambiente tóxicos podem afetar o humor e o ânimo, impactando negativamente o relacionamento com a família (inclusive aumentando os conflitos em casa) e amigos.

O ponto que queremos chegar é que em ambiente de trabalho tóxico a saúde e a felicidade estão em risco. Sabemos que não existe uma cultura organizacional perfeita, mas os resultados de locais destrutivos podem ser devastadores tanto para as equipes quanto para a empresa em si, pois:

  • A equipe pode perder a confiança para executar adequadamente uma determinada tarefa;
  • Laços entre membros dos times podem ser destruídos, resultando em redução do desempenho e diminuição da “cidadania”, o que significa que os funcionários têm menos probabilidade de ajudar e apoiar uns aos outros;
  • Há um aumento no turnover.

Em suma, um ambiente de trabalho tóxico destrói a empresa através da redução da produtividade e da colaboração, dificulta a criação de novas lideranças, aumenta custos de contratação e demissão, prejudica a reputação da empresa etc. Tudo isso afeta a relação com o cliente e consequentemente exerce um impacto negativo no financeiro.

Com isso, já passou da hora de entendermos que não há mais espaço para um ambiente de trabalho tóxico, concorda?

Como acabar com ambientes tóxicos?

trabalho tóxico

Engana-se quem pensa que um local de trabalho tóxico é somente aquele em que chefes ou até os colegas são abusivos. Existem diversos fatores que podem contribuir para ambientes nada prazerosos, como:

  • Falta de clareza nos objetivos: quando todos sabem quais os objetivos e o propósito da empresa, conseguem entender qual o seu papel no quadro geral. Lembre-se que metas fazem todos avançar.
  • Comunicação unidirecional: em um ambiente de trabalho tóxico a comunicação não é uma via de mão dupla. Pelo contrário, pois ela é usada como uma ferramenta para afirmar o domínio, podendo ser passiva-agressiva ou somente passiva ou agressiva.
  • Gestores ou líderes passam o dia reclamando: às vezes a reclamação nem é sobre a empresa especificamente, mas dependendo do caso ela pode espalhar pânico. Imagine um líder que reclama da política ou da economia, fazendo com que funcionários tenham medo de serem demitidos, sintam-se desmotivados, desanimados e até depressivos.

Poderíamos acrescentar diversos outros pontos, mas não queremos nos prolongar nisso. O que queremos é evitar que você caia na armadilha de achar que um ambiente de trabalho tóxico é aquele que somente há, por exemplo, bullying. Muitas vezes o simples fato de uma pessoa ser negativa o tempo inteiro já contamina outros colegas, prejudicando o local de trabalho.

Caso perceba que isso acontece na sua empresa ou que alguns dos outros sinais que elencamos aqui estejam tomando conta, é sempre bom acender o alerta e tomar uma atitude o quanto antes. Manuela Priesemuth, pesquisadora que se concentra em liderança destrutiva, agressão no local de trabalho, justiça organizacional e comportamento, escreveu um artigo para a Harvard Business Review sobre o tema.

Em “Managing Organizations – Time’s Up for Toxic Workers”, ela fala sobre ambiente de trabalho tóxico e explica que, a partir de algumas descobertas que fez de seus dois últimos estudos, nós podemos estruturar os ambientes de trabalho para combater os abusos.

Primeiro passo

Para começar, Priesemuth sugere que as empresas precisam aumentar a conscientização e educar os gerentes sobre todos os custos associados à conduta abusiva. Isso pode ser feito desde o início, quando o profissional começa a trabalhar na empresa.

Programas de treinamento contínuo nos quais gerentes aprendem que ações negativas não apenas prejudicam os outros, mas também a si mesmos, são também ferramentas indicadas.

Segundo passo

Feedback é essencial para qualquer empresa. Como expressar experiências abusivas, relatar algo negativo ou falar de suas preocupações pode ser difícil para um funcionário, a sugestão da autora é a adoção ou o fortalecimento de canais de feedback anônimos. Assim, as pessoas irão sentir-se mais seguras e não terão medo de represálias.

Terceiro passo

Priesemuth finaliza dizendo que “as organizações precisam defender e aplicar normas justas e éticas em todos os aspectos da vida da empresa, porque os funcionários refletem sobre esses valores antes de decidirem se devem ou não enfrentar abusos”. Ela comenta que quando as pessoas sentem que um tratamento justo e respeitoso é valorizado e apoiado, passam a ter mais confiança na hora de enfrentar um agressor e/ou proteger alguém que foi maltratado.

Outros pontos

Além dos passos sugeridos no artigo da HBR, acrescentamos outros pontos que podem ajudar a eliminar ambientes tóxicos de trabalho:

  1. Informe a administração sempre que identificar algo;
  2. Estabeleça uma comunicação clara e eficaz;
  3. Reconheça as realizações de um colega, da equipe ou da empresa;
  4. Desencoraje o favoritismo;
  5. Seja positivo;
  6. Atue proativamente e orientado para soluções.

O que mais poderíamos acrescentar à lista? A palavra agora fica com você. Deixe um comentário e compartilhe conosco suas ideias.

Para mais conteúdo como este, e para ficar por dentro de boas práticas da gestão de negócios, acesse o Glicando, o blog da Glic Fàs.

Créditos imagem principal: Unsplash por ahmad gunnaivi

Créditos imagem texto: Pixabay por Arek Socha